PÁGINAS

segunda-feira, 28 de março de 2016

BRASIL SOS URGENTE

Estamos vivendo um momento crucial de evolução política (não revolução ou reforma política). Evolução aqui é nas entranhas do pensar e fazer político em toda a nossa sociedade (do senso comum mais sistematizado ao pensamento acadêmico mais sofisticado), mudar o modo de pensar e fazer a política a partir da rede simbiótica tem provocado uma montanha russa em nossas crenças e valores, práticas. O processo de reorganização profunda da política vai longe.... Não será curto,.... Não será apenas uma questão eleitoral,... muito menos de reforma na engenharia institucional de partidos e sistemas eleitorais.
NO ENTANTO, o Brasil não pode parar economicamente. A primeira coisa a fazer é separarmos uma agenda da evolução política e uma AGENDA ECONÔMICA-SOCIAL para a necessidade de reerguermos o TITANIC da economia (que afundou) a curto e médio prazo. Temos que montar uma rápida transição econômica social com apoio de todos que apostam no Futuro desse país, na direção do encontro de um Futuro de um Brasil melhor, na política e em em suas práticas políticas.
Precisarmos da sociedade organizada, envolvendo produtores, consumidores, não de um plano de Estado que envolvam aprovação de novas Leis... precisamos de todos: Organizações acadêmicas de excelência e especialistas, (sem partidarismos) propondo uma Alternativa Econômica para transição do Futuro e que não passe a curto prazo por mudanças legais no Congresso. Nada de reforma fiscal, tributárias, mas de um projeto econômico produtivo e real com efeitos de curto prazo e médio prazo. As reformas Constitucionais somente serão legítimas depois de finalizado depois de espulgarmos a praga mercenária que se instalou na Política e no nosso Estado (empresários, cúpulas partidárias, instituições reforçadas e novos processos consolidados na agenda política. SEPARAR A AGENDA DA EVOLUÇÃO POLÍTICA E A DO FORTALECIMENTO DE NOSSAS INSTITUIÇÕES JURÍDICAS em andamento E construirmos uma AGENDA ECONÔMICA SOCIAL NACIONAL.
Tarefa árdua, complexa, mas não impossível. Alguém tem outra saída desse empasse (uma sugestão que não seja essas que andam por aí tipo: Impeachment x Golpe,.... Golpe x Impeachment).

sexta-feira, 4 de março de 2016

Meus caros Petistas, comunistas, socialistas, anarquistas e que ainda acreditam que estamos passando por uma injustiça política...... 
GILSON LIMA. 
UMA HISTÓRIA LONGA. MINHA HISTÓRIA COM O PT. SEI QUE MUITOS VÃO ME BOMBARDEAR NOVAMENTE. TENHO TUDO DOCUMENTADO. QUEM FOR LER OU VAI ME EXPURGAR DE VEZ DA REDE OU FORTALECERÃO AINDA MAIS MINHA AMIZADE NO FACE. TEM QUE LER TUDO. É LONGO. Texto sem revisão. PREPAREM-SE O ÓDIO DELES. SERÁ GRANDE....
MINHA HISTÓRIA. Sei que vão me triturar novamente, mas tenho tudo documentado. DE mentiroso não podem me chamar. Quem me acompanha sabe que fui um dos Fundadores e dirigentes do PT no Estado e dirigente do Partido em Porto Alegre nos anos 80. ASSESSOREI A PRIMEIRA BANCADA ESTADUAL DO PARTIDO. AINDA NO PERÍODO DE TRANSIÇÃO DA DITADURA. Participei das primeiro Diretório do PT na Capital. Coordenei a primeira campanha do recém filiado Paulo Paim (uma campanha vencedora e significativa na época em que ainda éramos perseguidos por viaturas - por questões políticas e não de polícia). Fiz parte do Alto escalão da Primeira CAMPANHA QUE CONQUISTAMOS DE PREFEITURA DA PRIMEIRA PREFEITURA DE UM GOVERNO PETISTA NA CAPITAL DO ESTADO. (Gestão Olívio Dutra e Tarso Genro - Vice). Faz tempo. Rompi com essa turma antes de entrar NA METADE da década de 90. Conheço eles por dentro. Das entranhas. Fui censurado, perseguido e expurgado de modo mais ou menos gentil ou por processos por todas as tribos petistas da época. Como os liberais não me aceitavam. Fiquei a deriva. Meus livros falam e indicam isso.
Um dos princípios básicos mais absurdos do Petismo é a gênese de sua moral purificadora FUNDAMENTALISTA (mescla de uma sopa entre salvação cristã, marxismo, fé, igreja, populismo organizado e baixa reflexividade, basismo e muito oportunismo). Eles seriam os puros que nos livrariam dos egocentrismo da elite burguesa, dos piratas colonizadores, da economia informal, do bang bang, do centralismo de Brasília,... Distribuiriam uma riqueza pela coesão de um Estado Forte imperial, quase castrista. Democracia era e foi algo muito frágil na cultura petista. Só democracia interna. Normal em todos os partidos que imitaram o modelo Leninista....na América Latina. Mesmo os partidos dito de "massa" de esquerda e direita sempre foram, no Brasil, muitos autoritários. Já sabia que o que isso não seria muito adequado a longo prazo para nossos filhos e netos . Eles - a elite do partido - já na época - só queriam: aparelhos, meios, ... e recursos para um projeto sem projeto. Por exemplo, criei o processo de gestão participativa que eles apelidaram de "Orçamento". Não pensavam uma cidade participativa. Estavam atrás de recursos para fabricar vereadores. Com a Edificação da Favela Planetário (minha tese de mestrado) que QUASE TODO O GOVERNO PETISTA de PORTO ALEGRE ERA CONTRA, NA ÉPOCA. DUVIDAM => PERGUNTEM AOS LIDERES COMUNITÁRIOS DA ÉPOCA. O PROJETO JARDIM PLANETÁRIO QUE CRIEI era um resultado da criação de um Programa que também criei e coordenei sua execução até minha saída da Prefeitura (última dia da Gestão de Olívio Dutra). Foi com Olívio Dutra que era uma voz isolada no governo Petista (mesmo sendo prefeito - sofria muitas resistências do partido) Criei o PROGRAMA DE REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA. O Projeto Planetário era um dos projetos prioritários do Programa. Uma simulação de uma Cidade Jardim inclusiva. Sem automóveis e com uma estrutura metálica que nunca tinha sido usada em Construção Civil. As obras foram rápidas e eficientes. Com muitas resistências e até ameaças do próprio partido. É bom saber que próprio partido na época me acusada de direita por ter criado o Orçamento Participativo. Era contras. Cheguei até responder processos da direita e da esquerda na Justiça. Nem da Procuradoria Municipal - ainda muito modesta e controlada por uma corrente partidária autoritária do partido na época - a Democracia Socialista. Não pude confiar nem MESMO NO GOVERNO. A Procuradoria ainda tinha pouco espírito de carreira. Depois descobriram que poderiam voar com a Vila Planetário e com o Orçamento Participativo e meus projetos (que repudiavam). Transformaram o programa numa aposta no Céu aqui na Terra de índios e piratas. Sem projetos efetivos, aprenderam a manipular a mídia simbólica e distribuir migalhas em nome de um tal socialismo de consumo no futuro .... Esse oportunismo a ditadura já fazia isso com o Demhab em Porto Alegre. Ele e eles aprenderam a fazer isso com o Orçamento Participativo (que eram contra). Fizeram aliança com os especuladores imobiliários e 30% da cidade que já estava pronta e paga pelos impostos da população ficou intacta para a especulação enquanto levavam asfalto e lâmpadas para a periferia em nome do socialismo inclusivo. Foram os primeiros a fazerem campanhas midiáticas criativas, as primeiras nós mesmos fazíamos, mas ainda o conteúdo não era apenas uma questão de disputa de audiência. Fizeram bem feito. Enriqueceram muito as agências e modernizaram a relação da mídia com a política eleitoral. O preço foi alto. Para manter a indústria simbólica que criaram tiveram que fazer aliança com tudo que era tipo de gente da pior estirpe. Claro que a hipocrisia populista seria financiada por petróleo (típico de ditadores civis e militares na América Latina - de direita, esquerda, centro,... fardados ou civis,...). Com um discurso hipócrita de inclusão: socialismo de consumo e distribuição de renda sem mexer na renda efetiva dos poderosos e da centralização de Brasília.... Uma Receita típica tupiniquim. Nada de novo. . Ficaram uma década e meia. Mas isso é disputa por discurso e projetos. O caso agora é de polícia. Quadrilha, roubo, assaltos, ... não é política é crime . O Brasil está dando exemplo.... Não foi um crime comum. Foi uma economia paralela que foi montada. Um sistema que não encontramos nem na máfia americana.
Algo jamais imaginado por quem lutou por essas bandeiras, mesmo discordando de quase tudo que eles dizem que fizeram...